• semanarioradio

Sociedade Portuguesa de Pneumologia emite atualização e informação sobre o caronavírus

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia emitiu, no dia de hoje, um nota de atualização e informação relativamente ao coronavírus.



O que é o novo coronavírus? A Organização Mundial da Saúde (OMS) descreve os coronavírus como uma grande família de vírus que podem causar patologias desde uma constipação comum a doenças mais graves, como a síndrome respiratória do Médio Oriente (MERS) e a síndrome respiratória aguda grave (SARS). O novo coronavírus de 2019, ou 2019-nCoV, é uma nova estirpe que não tinha sido identificada antes em humanos.


Sociedade Portuguesa de Pneumologia (c)

Resumo da situação: onde, quando e qual a possível fonte Em 31 de dezembro de 2019, a OMS foi informada de vários casos de pneumonia viral de causa desconhecida detetados na cidade de Wuhan, China. O Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC, na sigla em inglês) revela que doentes com 2019-nCoV apresentaram sintomas como febre e dispneia.

De acordo com o ECDC, a maioria dos casos de 2019-nCoV está epidemiologicamente associado a um mercado específico de alimentos e animais vivos (peixes, mariscos e aves) situado no sul de Wuhan.

Em 13 de janeiro de 2020, as autoridades de saúde tailandesas confirmaram dois casos de 2019-nCoV na Tailândia e no dia seguinte o Ministério da Saúde japonês também informou sobre um caso de 2019-nCoV num homem que tinha viajado para Wuhan, China.

A ERS recomenda a consulta dos relatórios de situação da OMS para obter as atualizações mais recentes sobre números confirmados de casos e mortes por 2019-nCoV e para obter informações sobre a distribuição geográfica deste coronavírus.

Como é que o vírus é transmitido? Em 20 de janeiro de 2020, a Comissão Nacional de Saúde da China confirmou pela primeira vez que o 2019-nCoV poderia ser transmitido de humano para humano, informando que duas pessoas na província de Guangdong, China, foram infetadas dessa forma. Além disso, num comunicado publicado na sua conta oficial do Weibo (também no dia 20 de janeiro), a Comissão Municipal de Saúde de Wuhan disse que pelo menos 15 profissionais de saúde em Wuhan foram infetados com o vírus.

Após o primeiro Comité de Emergência convocado pelo Diretor-Geral da OMS, de acordo com o Regulamento Sanitário Internacional, a OMS relata que a transmissão de humano para humano está a ocorrer com uma estimativa preliminar R0 de 1.4-2.5, mas o comité concluiu que ainda é muito cedo para declarar uma emergência de saúde pública de interesse internacional. A OMS apresenta recomendações padrão para impedir a disseminação do coronavírus, incluindo a lavagem regular das mãos, a cobertura da boca e nariz ao tossir e espirrar, e cozinhar bem a carne e os ovos. Sempre que possível, a OMS também recomenda evitar contacto próximo com pessoas que apresentem sintomas de doenças respiratórias, incluindo tosse e espirros.

Qual o risco de casos na Europa? No relatório 2019-nCoV, o ECDC destaca que três aeroportos da União Europeia (UE) têm voos diretos para Wuhan e que existem voos indiretos com outros hubs da UE. Com base nisso, o ECDC recomenda que o risco de:

A infeção de pessoas que visitam Wuhan tendo contacto próximo com indivíduos sintomáticos é considerada moderada;A importação de casos de 2019-nCoV para a UE/EEE é considerada moderada;Um caso relatado na UE que resulte em casos secundários na UE/EEE é baixo.

Na UE, o PREPARE contactou laboratórios clínicos e de diagnóstico para garantir que estão prontos, e os investigadores estão atualmente a desenvolver um protocolo clínico que pode ser implementado rapidamente se forem relatados casos de 2019-nCoV na região.

Leia o relatório PREPARE completo para obter mais informações sobre o modo de resposta a surtos e os próximos passos.

Conselhos para profissionais de saúde A OMS revela que os sinais comuns de infeção por coronavírus incluem sintomas respiratórios, febre, tosse, falta de ar e dificuldades respiratórias. Assim como ocorre na SARS e MERS, ao lidar com casos suspeitos de 2019-nCoV, os profissionais de saúde devem seguir as precauções do CDC de transmissão por via aérea e usar máscaras respiratórias (N95 ou superior) durante a intubação e ao entrar numa sala de pressão negativa. O ECDC desenvolveu guidelines para apoiar os Estados-membros da UE e do EEE no teste de indivíduos para 2019-nCoV, abrangendo critérios epidemiológicos e clínicos que devem levar a testes laboratoriais de casos suspeitos de 2019-nCoV.

Critérios epidemiológicos: - Qualquer pessoa com histórico de viagens para a cidade de Wuhan, China, nos 14 dias anteriores ao início da doença; - Qualquer pessoa que esteja em contacto próximo com um caso confirmado por laboratório de 2019-nCoV nos 14 dias antes do início da doença.

Critério clínicos: - Qualquer pessoa com sintomas clínicos compatíveis com infeção respiratória aguda grave que procure assistência médica ou seja internada no hospital com evidência clínica ou radiológica de pneumonia; - Qualquer pessoa com febre ou história recente de febre (>=38 °C) e infeção respiratória aguda (início repentino de infeção respiratória com um ou mais dos seguintes sintomas: falta de ar, tosse ou dor de garganta).

Visite a página do ECDC para obter guidelines e informações completas sobre o teste de indivíduos para o novo coronavírus 2019-nCoV. O ECDC também recomenda que a infeção por 2019-nCoV seja imediatamente relatada ao Early Warning and Response System (EWRS), em conformidade com a Decisão n.º 1082/2013, sobre graves ameaças transfronteiriças à saúde e ao sistema de IHR, de acordo com o International Health Regulations 2005 (IHR).

Consulte informação atualizada no site da Direção-Geral da Saúde (DGS) e no site da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP).



Semanário Rádio/ Sociedade Portuguesa de Pneumologia

190 visualizações

© 2019 por NF Criado com Wix.com  . Licenciamento

Logo SPA.gif
  • Facebook Clean Grey
  • mixcloud
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now